31 de março de 2014

A lei do retorno


Há determinadas coisas que não conseguimos
ignorar, como por exemplo:
Aquele que nos enganou.
Aquilo que perdemos,
e o que nos foi roubado.
Mas podemos viver melhor se olharmos em frente
e aguardarmos confiantes o que esta por vir,
e se lembrarmos sempre que a única lei infalível,
é a Lei do Retorno.
(Gardenia)

Minha Filha...


Minha filha...
Que a estrada se abra à sua frente.
Que o sol brilhe morno e suave em sua face,
Que a chuva caia de mansinho em seus campos.
Que um suave acalanto te acompanhe,
onde estiveres.
Que as perdas do teu caminho sejam sempre
encaradas como lições de vida.
Que a musica seja tua companheira
de momentos secretos contigo mesmo.
Que em cada passo teu fiquem marcas luminosas
de tua passagem em cada coração.
Que o canto da maturidade jamais
asfixie a tua criança interior.
Que o teu sorriso seja sempre verdadeiro.
Que em teus momentos de solidão e cansaço,
esteja sempre presente em teu coração
a lembrança de que tudo passa e se transforma,
quando a alma é grande e generosa.
Que Deus lhe guarde nas palmas de suas mãos!

Oração Celta


26 de março de 2014

Olhares


Algumas vezes olhamos mais para as perdas e as dificuldades que esquecemos de olhar, buscar e resgatar aquilo que temos de mais bonito e importante em nós.
(Adriana Silva)

Sou o que posso...


Não sou " mais " em nada... Sou apenas o que posso dentro do meu perímetro de sabedoria ou ignorância.
(Adriana Silva)


Cuide bem de você, não sofra sem necessidade.


19 de março de 2014

Destino



Eu creio no melhor da vida e hoje, já planto só o bem.Todas as minhas coisas seguem adiante com alegria e paz. Minhas ilusões interferem, os erros surgem e mostram como as coisas são. Minha alma observa as circunstâncias, minha intuição indica o ponto que devo mudar para corrigir o rumo. Assim, a cada dia fico mais lúcida e forte para vencer os desafios do amadurecimento. Eu escolho e crio o meu destino.

Zibia Gasparetto.

17 de março de 2014

Aula de Direito




Primeira aula da faculdade de Direito. O professor de “Introdução ao Direito” entra na sala. A primeira coisa que faz é perguntar o nome a um aluno que estava sentado na primeira fila:
- Como você se chama?
- Meu nome é João, senhor.
- Saia de minha aula e não quero que volte nunca mais! - gritou o desagradável professor.
João ficou desconcertado por alguns segundos. Quando voltou a si, levantou-se rapidamente, recolheu suas coisas e saiu da sala. Todos estavam assustados e indignados, porém, ninguém falou nada.
- Agora sim! Vamos começar a aula! Para que servem as leis? – pergunta o professor.
Os alunos seguiam assustados, porém, aos poucos começaram a responder à pergunta:
- Para que haja ordem em nossa sociedade.
- Não! – respondeu o professor.
- Para cumpri-las.
- Não!
- Para que as pessoas erradas paguem por seus atos.
- Não! Será que ninguém sabe responder a esta pergunta?
- Para que haja justiça - falou timidamente uma garota.
- Até que enfim! É isso! Para que haja justiça. E agora, para que serve a justiça?
Todos começavam a ficar incomodados com a atitude grosseira do professor. Porém, seguiam respondendo:
- Para salvaguardar os direitos humanos.
- Bem, que mais? – perguntou o professor.
- Para diferenciar o certo do errado.
- Ok, não está mal. Agora me digam: eu agi corretamente ao expulsar João da sala de aula?
Todos ficaram calados, ninguém respondia.
- Quero uma resposta decidida e unânime!
- Não!!! – responderam todos a uma só voz.
- Poderia dizer-se que cometi uma injustiça?
- Sim!!! – responderam todos.
- E por que ninguém fez nada a respeito? Para que queremos leis se não dispomos da vontade necessária para praticá-las? Cada um de vocês tem a obrigação de reclamar quando presenciar uma injustiça. Todos. Não voltem a ficar calados, nunca mais! Vá buscar o João – disse o professor, olhando fixamente para outro aluno.
Naquele dia, todos tiveram a lição mais prática do curso de Direito, um aprendizado para sempre: “Quando não defendemos nossos direitos ou os do próximo perdemos a dignidade e a dignidade não se negocia.”
(autor desconhecido)

Compartilhei esta conhecida história para refletirmos sobre seu ensinamento.

Paz e Alegria,
Carlos Hilsdorf
PÁGINA OFICIAL: Carlos Hilsdorf

Reflexão



Com o tempo a gente vai aprendendo a exercitar e sincronizar aquilo que a gente pensa, acha e que está prestes a falar. Muitas vezes a gente fala mesmo e pronto acabou. Mas em outros, a gente troca o que queria dizer por algumas gargalhadas, sorrisos, ou um " não sei" e desconversa, conta uma piada, pergunta de alguém, ou fala alguma coisa diferente do roteiro habitual das pessoas. A gente cansa de papo vazio, de conversa sem futuro, e se for pra falar que seja algo que nos faça rir e não aborrecer. Porque se for pra isso, é melhor nem sair de casa e nem conversar com ninguém. Porque falar por falar, fico com os meus botões.
(Adriana Silva)

Na hora de escolher:



Há mentiras que parecem verdades e há verdades que estão escondidas atrás das nossas ilusões. Enquanto a cabeça se ilude na cultura do mundo, nossa alma possui todos os sensos e sabe como a vida funciona.
Na hora de fazer escolhas, é prudente ignorar os pensamentos e entrar no sentir para contatar com a alma e perguntar o que deseja saber. Ela responderá em palavras, intuição ou fazendo recordar algo útil ao assunto. Experimente e verá!
(Zibia Gasparetto)

14 de março de 2014

Não leve os problemas para casa (vale a pena ler)


Esta é uma história de um carpinteiro que foi contratado para arrumar algumas coisas numa fazenda.
O primeiro dia de trabalho do carpinteiro foi bem difícil.
A serra elétrica quebrou.
Cortou o dedo.
E ao final do dia, o seu carro não funcionou.
O homem que o contratou ofereceu-lhe uma carona para casa.
Durante o caminho, o carpinteiro não falou nada. Sua aparência era de tristeza e frustração.
Quando chegaram a sua casa, o carpinteiro convidou o homem para entrar e conhecer a sua família.
Quando os dois homens estavam caminhando para a entrada da casa, o carpinteiro parou junto a uma pequena árvore e gentilmente tocou as pontas dos galhos com as duas mãos.

Ao abrir a porta da sua casa, o carpinteiro transformou-se completamente.
Os traços tensos do seu rosto transformaram-se em um grande sorriso, e ele abraçou os seus filhos e beijou a sua esposa.
Após oferecer um café ao seu cliente, o carpinteiro acompanhou o homem até o carro.
Assim que eles passaram pela árvore, o homem perguntou:
- Porque você tocou na planta antes de entrar em casa?
- Ah! Esta é a minha Árvore dos Problemas. Eu sei que não posso evitar ter problemas no meu trabalho, mas estes problemas não devem chegar até meus filhos e minha esposa. Então, toda noite, eu deixo os meus problemas aqui fora nesta Árvore quando chego em casa, e os pego no dia seguinte, quando saio. E sabe de uma coisa? – disse o carpinteiro.
- Claro – respondeu o homem.
- Toda manhã, quando eu passo aqui para buscar os meus problemas, eles não são nem metade do que eu me lembro de ter deixado na noite anterior.

Compartilhei esta conhecida mensagem para refletirmos sobre seu precioso ensinamento.

Paz e alegria,
Carlos Hilsdorf
PÁGINA OFICIAL: Carlos Hilsdorf

12 de março de 2014

Caminhe mais leve pela vida


A caminhada rumo à maturidade das nossas atitudes é longa... Por isso, livre-se do excesso de bagagem. Caminhe mais leve pela vida. Traga somente o essencial, o que vale a pena, o que agrega. Aquilo que ajuda você a viver e a construir as condições para ser feliz.

Se você insistir em levar bagagens em excesso, elas se tornarão muito pesadas e farão com que você acabe abandonando a viagem. Livre-se dos excessos.
E seja humilde: abandone a falsa certeza de que sabe o bastante sobre as coisas, sejam elas simples ou complexas. Afinal, o que é básico, o que é essencial, aprendemos por último.

Paz e Alegria,
Carlos Hilsdorf
PÁGINA OFICIAL: Carlos Hilsdorf

Gestos


Um largo sorriso e algumas palavras
carinhosas, nos fortalecem, incentivam
e deixam o nosso dia mais leve e colorido.

Joy Bell



Limites ou Limitações?


PARA REFLETIR: Limites ou Limitações?

Quaisquer que sejam as nossas metas na vida, uma coisa é certa: teremos que superar a nós mesmos para realizá-las. Portanto, nunca transforme limites em limitações.
Limites são as nossas fronteiras atuais e temporárias. Com nosso esforço e dedicação, podemos superá-los.
Limitações são limites cristalizados, aceitos ao ponto de ser tornarem permanentes.

Nosso conhecimento atual sobre determinado tema tem um limite, mas se continuarmos estudando, vamos ampliá-lo. O mesmo ocorre com nosso corpo. Se realizarmos exercícios específicos, ganhamos condicionamento físico, fôlego, massa muscular, aumentamos nossa força e resistência, expandindo nossos limites.

Se algo está limitando você, não são seus limites, mas o medo e a ilusão de não poder vencê-los. Vença seus medos e suas ilusões e você irá superar seus limites!

Carlos Hilsdorf

PÁGINA OFICIAL: Carlos Hilsdorf

10 de março de 2014

Superação


Bonito mesmo é essa coisa da vida: um dia, quando menos se espera, a gente se supera. E chega mais perto de ser quem na verdade a gente é!
(Fernanda Mello)

Crescer e Desapegar...


Uma das coisas mais extraordinárias da vida é descobrir que a gente cresceu assim por acaso, como um passeio em que esperávamos espinhos e vamos vendo as flores.
E quando a gente passa pelo processo de crescimento tudo dói. Percebemos que aquela roupa preferida já não nos cabe mais, a gente sofre mais um pouquinho porque não queria se desfazer dela. Mas não adianta guardar nada no armário se não nos serve mais. Com certeza há alguém que necessita dela, e nós experimentaremos uma nova roupa.
Assim é a vida! Uma caminhada rumo ao nosso crescimento, e a descoberta daquilo que precisamos e o desapego ao que não nos serve mais.

(Adriana Silva)

7 de março de 2014

Estrelas


" Vivo nas estrelas porque é lá que brilha a minha alma."
(Manoel Bandeira)


Basta morar um no coraçãodo outro...


Não basta morar sob o mesmo teto... Carece que morem um no coração do outro... 
(Padre Fábio de Melo)

A história de Bill Porter



Bill Porter nasceu em San Francisco, California, em 1932. Porter nasceu com paralisia cerebral, o que lhe ocasionou dificuldades de fala, de coordenação motora e no andar.
Ainda jovem, mudou-se com sua mãe para Portland, Oregon. Ele não conseguia emprego devido à sua paralisia cerebral, mas se recusou receber auxílio salário do governo por sua deficiência.
Sua mãe sempre foi sua grande incentivadora e passou a ele dois valores básicos: paciência e persistência. Apesar das dificuldades, Porter tinha um sonho: conseguir um emprego de vendedor, como seu falecido pai.

Em sua busca, Bill recebeu muitos “nãos”, mas jamais desistiu. Depois de muita persistência, finalmente convenceu a Watkins Inc. a lhe dar um emprego de vendedor porta-a-porta, apesar da relutância da empresa por causa de suas limitações e pelo fato da venda de porta em porta ser uma tarefa desgastante.
Ele só conseguiu o emprego porque se propôs a trabalhar na pior rota que existisse, aquela que nenhum vendedor desejava fazer. Nos anos seguintes, passou a andar cerca de 16 quilômetros diariamente, batendo de porta em porta, buscando apresentar e vender os produtos da Watkins na área de Portland.
Bill sofria muitas rejeições dos clientes. Sua aparência não era das mais belas, seu jeito de falar e seu andar desengonçado causavam estranheza às pessoas. Mas ao fechar sua primeira venda para uma jovem senhora alcoolatra e reclusa, Gladys Sullivan, ele literalmente não parou mais...
Conquistava clientes, fechava vendas e cativava o coração das pessoas.

Em 1989 recebeu o prêmio de melhor vendedor do ano, de toda a empresa.
Por mais de 40 anos Bill caminhou 16 quilômetros por dia, vendendo de porta em porta.
Em 1995, chamou a atenção de todos, quando um jornal do Oregon escreveu uma série de reportagens sobre ele, o retratando como símbolo popular de determinação e entusiasmo.
Em 2002, sua história virou filme, sob o título “Door to Door” (De porta em porta).
O vendedor de porta em porta, com fala atrapalhada e andar engraçado tornou-se uma pessoa querida por todos, pois, de coração em coração, ele sabia como cativar as pessoas.
Porter faleceu em Gresham, Oregon, no dia 3 de dezembro de 2013, aos 81 anos de idade.

5 de março de 2014

Afastar-se do mal


Abrir mão de pessoas negativas não significa que as odiamos. Significa apenas que amamos a nós mesmos.

A vida é muito curta para gastá-la combatendo a energia negativa de outras pessoas. Permita-se afastar-se imediatamente de qualquer coisa que esteja lhe fazendo mal.~

Yehuda Berg

Nossas manifestações.


Nosso maior medo não é o de sermos incapazes.
Nosso maior medo é descobrir que somos muito mais poderosos do que pensamos.
É nossa luz e não nossas trevas, aquilo que mais nos assusta.
Vivemos nos perguntando: quem sou eu, que me julgo tão insignificante, para aceitar o desafio de ser brilhante, sedutora, talentosa, fabulosa?
Na verdade, por que não?

Procurar ser medíocre não vai ajudar em nada o mundo ou os nossos filhos.
Não existe nenhum mérito em diminuir nossos talentos, apenas para que os outros não se sintam inseguros ao nosso lado.

Nascemos para manifestar a glória de Deus – que está em todos, e não apenas em alguns eleitos. Quando tentamos mostrar esta glória, inconscientemente damos permissão para que nossos amigos possam também manifestá-la.
Quanto mais livres formos, mais livres tornamos aqueles que nos cercam.

Marianne Williamson

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...