24 de fevereiro de 2015

Sentimentos sempre me aquecem


Embora as chuvas fortes da vida
acompanhadas de ventos tempestuosos,
e frio intenso impeçam meu sol de sair,
as águas me purificam,
e os sentimentos sempre me aquecem.


Cecilia Sfalsin

O mundo não é dos espertos.


O mundo não é dos espertos. É das pessoas honestas e verdadeiras. A esperteza, um dia, é descoberta e vira vergonha. A honestidade se transforma em exemplo para as gerações do futuro. Uma corrompe a vida; a outra enobrece a alma.

(Desconheço a autoria)

21 de fevereiro de 2015

A Paz ba Consciência...


A paz da consciência é o maior de todos os dons. Uma pessoa com a consciência limpa não tem motivos para temer os espectros. 

Lin Yutang

Ganância


A natureza pode suprir todas as necessidades do homem, menos a sua ganância. 

Mahatma Gandhi 


Os capítulos mais importantes


Procure a sabedoria e aprenda a escrever os capítulos mais importantes de sua história nos momentos mais difíceis de sua vida. 

Augusto Cury

15 de fevereiro de 2015

A Insegurança



… A insegurança não é fruto do medo, mas da falta de coragem em acreditar em si mesmo. Lute para ter vitórias merecidas e vença lutas que valorizem o seu melhor, e lembre-se que o poder de lutar e as chances de vencer andam lado a lado, pois apenas consegue vencer quem continua lutando até o final...

Franncis Antunes

Direção correta


Um passo na direção correta é mais significativo do que andar uma estrada inteira num destino que não nos convém. 

Livro: O discípulo da Madrugada - Pe. Fábio de Melo

8 de fevereiro de 2015

Simplificando...



Quando é que a inteligência serviu para tornar feliz alguém? (...) 
Só se pode ser feliz simplificando, simplificando sempre, arrancando, diminuindo, esmagando, reduzindo; e a inteligência cria em volta de nós um mar imenso de ondas, de espumas, de destroços, no meio do qual somos depois o náufrago que se revolta, que se debate em vão, que não quer desaparecer sem estreitar de encontro ao peito qualquer coisa que anda longe: raio de sol em reflexo de estrelas. 
E todos os astros moram lá no alto.

Florbela Espanca

Que a gente saiba...



Que a gente saiba apreciar as pequenas vitórias. E não esqueça que o pensamento é a chave do bem-estar. Que a gente cuide da saúde e da alma. E gaste energia somente no que faz bem.
Que a gente fique de olhos e ouvidos abertos. E não se deixe levar por fofoca ou intriga.
Que a gente passe a se preocupar com o que tem fundamento. E deixe pra lá o que não acrescenta ou faz bem.
Que a gente entenda que o silêncio é de ouro. E que nem sempre o que sai da nossa boca é bem interpretado ou visto. Que a gente comece a cuidar mais da própria vida.
E exercite um pouco aquele egoísmo saudável. Que a gente vá até onde a força permitir.
E perceba que sempre resta um pouquinho de força. Que a gente ame sem pedir em troca. E perceba o quanto isso é reconfortante.
Que a gente tenha mais paciência. E perdoe os erros. Que a gente obedeça o coração.
E não esqueça que é preciso manter pelo menos um pé no chão. Que a gente ache o caminho. E que se perca de vez em quando.
Que a gente mantenha um sorriso na boca. E não esmoreça quando a vida fechar uma porta.
Que a gente entenda que não dá pra abraçar o mundo. Mas dá pra abraçar algumas pessoas e fazer a diferença.

Clarissa Corrêa

3 de fevereiro de 2015

Se não pode ajudar, se afasta.



"Não seja a pedra no sapato, não seja o peso nos ombros. Se não pode estender a mão, se não pode silenciar, se afasta, não estende o pé e não coloca lenha na fogueira. Irradie luz ao invés de semear a discórdia." 

(Marcely Pieroni Gastaldi)

Sorte e escolhas bem feitas


Pessoas consideradas inteligentes dizem que a felicidade é uma idiotice, que pessoas felizes não se deprimem, não têm vida interior, não questionam nada, são uns bobos alegres, enfim, que a felicidade anestesia o cérebro.
Eu acho justamente o contrário: cultivar a infelicidade é que é uma burrice. O que não falta nessa vida é gente sofrendo pelos mais diversos motivos: ganham mal, não têm um amor, padecem de alguma doença, sei lá, cada um sabe o que lhe dói. Todos trazem uns machucados de estimação, você e eu inclusive. No que me diz respeito, dedico a meus machucados um bom tempo de reflexão, mas não vou fechar a cara, entornar uma garrafa de uísque e me considerar uma grande intelectual só porque reflito sobre a miséria humana. Eu reflito sobre a miséria humana e sou muito feliz, e salve a contradição.
Felicidade depende basicamente de duas coisas: sorte e escolhas bem feitas. Tem que ter a sorte de nascer numa família bacana, sorte de ter pais que incentivem a leitura e o esporte, sorte de eles poderem pagar os estudos pra você, sorte por ter saúde. Até aí, conta-se com a providência divina. O resto não é mais da conta do destino: depende das suas escolhas.
Os amigos que você faz, se optou por ser honesto ou ser malandro, se valoriza mais a grana do que a sua paz de espírito, se costuma correr atrás ou desistir dos seus projetos, se nas suas relações afetivas você prioriza a beleza ou as afinidades, se reconhece os momentos de dividir e de silenciar, se sabe a hora de trocar de emprego, se sai do país ou fica, se perdoa seu pai ou preserva a mágoa pro resto da vida, esse tipo de coisa.
A gente é a soma das nossas decisões, todo mundo sabe. Tem gente que é infeliz porque tem um câncer. E outros são infelizes porque cultivam uma preguiça existencial. Os que têm câncer não têm sorte. Mas os outros, sim, têm a sorte de optar. E estes só continuam infelizes se assim escolherem.

Martha Medeiros
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...